Atualizado 15/02/2018

Feriado de Carnaval termina com 17 mortes em rodovias gaúchas

Levantamento mostrou um total de 12.454 infrações entre a sexta e a quarta-feira de Cinzas.

Foto: Alina Souza
Foto: Alina Souza

O feriado de Carnaval de 2018 terminou com 17 mortes nas rodovias do Rio Grande do Sul. Segundo balanço divulgado pelo Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) nesta quinta, foram registrados nove óbitos nas estradas estaduais e oito nas rodovias federais do Estado, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 

O levantamento mostrou um total de 12.454 infrações entre a sexta e a quarta-feira de Cinzas - 8.791 por excesso de velocidade; 759 por ultrapassagem indevida; 329 por falta de uso de cinto de segurança; 31 por transporte de crianças sem cadeirinha e 171 multas por embriaguez.

 

O balanço da Operação Rodovida/Viagem Segura foi apresentado nesta quinta na sede da PRF, em Porto Alegre. Foram contabilizados acidentes, mortes, feridos e infrações durante os dias 9 a 14 de fevereiro. Durante a fiscalização, os policiais rodoviários registraram 104 acidentes no Rio Grande do Sul. Deste total, 21 acidentes foram graves. As principais causas das colisões foram o excesso de velocidade e a ultrapassagem indevida.

 

Em 2017, o mesmo feriado contabilizou cinco vítimas. As ações nas rodovias federais do Estado também resultaram na apreensão de 549 quilos de maconha, de 530 mil maços de cigarros contrabandeados e de  31 veículos apreendidos ou recuperados.

 

Os policiais rodoviários federais prenderam 60 pessoas durante os seis dias da operação. O superintendente da  PRF, João Francisco de Oliveira, disse que os policiais rodoviários intensificaram a fiscalização das condutas que mais provocam violência no trânsito: excesso de velocidade, embriaguez ao volante, ultrapassagens indevidas e trânsito irregular de motocicletas.

 

Segundo Oliveira, a ideia é que a partir da operação deste ano no Estado sejam propostas, aos departamentos responsáveis, mudanças viárias onde os acidentes foram registrados. A intenção é auxiliar os órgãos de infraestrutura a minimizar possíveis acidentes com vítimas fatais. “O esforço é integrado com os demais órgãos. A diferença é que a partir de agora vamos pegar cada um dos acidentes e vamos apresentar, se for o caso, medidas de infraestrutura rodoviária", destacou.

 

O superintendente da PRF cita o caso de um motorista que saiu de pista e colidiu em uma árvore. "Vamos sugerir ao Dnit para que aquela vegetação seja removida ou então que seja colocado um dispositivo de retenção que impeça que o veículo ao sair da pista colida na vegetação”,  acrescentou.

Fonte: CP
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções