Atualizado 29/06/2018

Ministro anuncia R$ 102 milhões para a Saúde no RS

Hospital da PUCRS e Hospital Vida de Santa Rosa receberão maiores aportes de recursos.

Foto: Ricardo Giusti
Foto: Ricardo Giusti

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, anunciou a liberação de R$ 102,4 milhões a 67 municípios do Rio Grande do Sul. O montante será destinado para a estruturação, modernização e habilitação de serviços de média e alta complexidade do Sistema Único de Saúde (SUS). O investimento foi comunicado nesta quinta-feira, no Palácio Piratini.

 

Dentro destes valores, R$ 63,4 milhões são de emenda parlamentar para estruturação e modernização do Hospital São Lucas da PUCRS e do Hospital Vida da cidade de Santa Rosa. Outros R$ 55 milhões, destinados à Capital, serão usados para projetos específicos da primeira fase do Centro Interdisciplinar de Saúde, inédito na cidade, e aquisição de equipamentos para modernização de áreas estratégicas, como UTI, centro cirúrgico e exames por imagem, entre outros.

 

Gilberto Occhi anunciou a liberação de R$ 37,7 milhões para outras 37 cidades com habilitação de serviços de média e alta complexidade. “Esse ano, até junho, Porto Alegre recebeu quase o mesmo valor que todo o ano passado em investimentos na área. E o Estado, 60%”, garantiu.

 

Também foi anunciada a entrega de 36 caminhonetes Mitsubishi, cabine dupla e branca, para 36 municípios para uso de atividades de prevenção e controle de endemias, como doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, totalizando R$ 4,3 milhões. O governador do Estado, José Ivo Sartori, agradeceu o apoio recebido pelo Ministério da Saúde. “Precisamos de atitude para que tenhamos soluções para os problemas que enfrentamos. O recurso destinado ao Hospital São Lucas, por exemplo, representa histórias e avanços no Rio Grande do Sul”, destacou. O chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, enalteceu o trabalho realizado pelo Estado.

 

O projeto Regula +Brasil, nascido no Rio Grande do Sul, será ampliado para mais quatro capitais - Porto Alegre, Belo Horizonte e Maceió - mais o Distrito Federal, com o objetivo de reduzir as filas de atendimento no Sistema Único de Saúde. O lançamento ocorreu no Paço Municipal. A ação, que vai permitir a expansão do programa Telessaúde Brasil Redes do Ministério da Saúde, com foco na telerregulação, já é considerado um case de sucesso no Estado.

 

O Hospital Sírio-Libanês ficará responsável pela implantação do projeto, em uma parceria com a prefeitura de Porto Alegre e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). O projeto que integra o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), terá um investimento de R$ 37 milhões, e vai ajudar a reduzir as filas de espera para consulta com especialista na capital gaúcha e em outras quatro capitais brasileiras.

 

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, destacou que o exemplo de Porto Alegre serve de referência para o país. “Além de compartilhar experiência, teremos capacidade de diminuir o tempo de espera por consultas e queremos expandir e multiplicar este exemplo para todo o país.” Para o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, o sistema deixou de ser analógicos e passou a ser digital: “Este é um passo rumo ao novo século. Representa o que há de mais moderno nesta área.” Já o prefeito Nelson Marchezan Júnior destacou que a parceria está de acordo com o projeto de governo, que tem buscado apoio para melhorar a vida dos porto-alegrenses.

Fonte: CP
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções